Carlos Calvo

uxio-breogan_fotoVai para quatro anos que, através de umha chamada, se me explicitava que uns moços e moças da bisbarra de Ordes iam desenvolver um acto de apresentaçom dumha nova entidade cultural.  Um acto para o que queriam contar com umha palestra que dera arredor da história do nacionalismo galego.

Aquela entidade daria-se em chamar Foucelhas. Associaçom Cultural da Comarca de Ordes. Quem estava na outra banda do telefone apresentou-se-me com o seu nome e primeiro apelido. Era, naturalmente, Carlos Calvo. Eu, naturalmente, aceitei.

Nunca lhe dixem ao Carlos -agora dalgum jeito estou-no a fazer- que aceitei nom só pola necessária iniciativa que significava, segundo as palavras do próprio Carlos, aquela associaçom, senom polo certeiro verbo dele mesmo. Destilava umha formaçom histórica, claridade intelectual e convicçom nacionalista pouco usuais nesta nossa sociedade.

O acto de apresentaçom de Foucelhas em Ordes fora exitoso. Ao meu ver, nom tanto polo elevado número de assistentes ao mesmo -o local empregado ficava ateigado-, como polo entusiasmo e vitalidade das e dos que alô estavam artelhando o referido encontro público.

Já nom só formaçom, claridade e convicçom, senom tamém ledícia, coma poucas veces tenho olhado, definiam ao Carlos naquele acto. Suponho que em grande medida por ver realizado o que fora um projecto ensonhado desde tempo atrás.

Infelizmente desde aquela altura, desde aquele primeiro encontro, poucas veces tenho parolado com ele -o trabalho no dia-a-dia nom permite apenas margem para o vagar-. Saber que fora forçosamente expatriado, ao igual que outras galegas e galegos, encheu-me de carragem… À sua vez, como fago agora, lembrei ao saber da sua expatriaçom as qualidades que aqui venho de resenhar e que, de seguro, terá ao seu favor estiver onde estiver.

Agardando que as companheiras e companheiros que botárom a andar a Associaçom Foucelhas sigam à frente dos objectivos que alimentárom a posta em andaina daquela entidade sócio-cultural, agardo naturalmente a pronta volta do Carlos à Terra, de onde nunca tivo de ser mobilizado forçosamente.

Uxío-Breogán Diéguez. Historiador e Docente

Advertisements

Deixar unha resposta

introduce os teu datos ou preme nunha das iconas:

Logotipo de WordPress.com

Estás a comentar desde a túa conta de WordPress.com. Sair / Cambiar )

Twitter picture

Estás a comentar desde a túa conta de Twitter. Sair / Cambiar )

Facebook photo

Estás a comentar desde a túa conta de Facebook. Sair / Cambiar )

Google+ photo

Estás a comentar desde a túa conta de Google+. Sair / Cambiar )

Conectando a %s