Ave branca

Manuel Meixide.

                                                              Para o Carlos, com agarimo.

  Tu és a liberdade.

Ninguém pode cortar

as asas da tua consciência,

só tu podes deixar de voar.

Carlos, tu és a liberdade.

Desde a terra observo humilde

o voo circular da tua ave branca,

as minhas asas encolhidas

desafiam agora o fio do vento.

Voa ave branca,

amostra-nos o caminho,

tu és a liberdade.

Só tu podes deixar de voar.

lua